Categorias
E-Book

ANS oficializa renovação do Grupo Giovanoni como Entidade Gestora de Outros Programas de Qualidade

Categorias
E-Book

Associar sua marca a uma cadeia de fornecimento mais sustentável é uma excelente iniciativa de ESG.

Categorias
E-Book

FICHA DE PRÁTICAS

Resumo da prática

 

Na Unimed Fronteira Noroeste/RS a gestão do Programa de Avaliação, Qualificação e Desenvolvimento da Rede Credenciada faz parte de um processo contínuo e permanente sob a liderança da Gestão Executiva, alinhado ao propósito da Cooperativa/Operadora – “Cuidar de você proporcionando a melhor experiência!” Em 2017, iniciou-se a construção do macroprocesso “Gerir Rede Credenciada”, o qual contempla o Programa de Avaliação, Qualificação e Desenvolvimento da Rede Credenciada, definindo as diretrizes e requisitos avaliativos para monitorar o desempenho da prestadora de serviços de saúde e incentivar a melhoria dos seus processos, qualidade dos serviços prestados e adoção de boas práticas de segurança ao beneficiário. 

O objetivo do Programa é qualificar, avaliar, classificar, desenvolver e reconhecer a rede prestadora de serviços de saúde. Cada prestador é classificado de acordo com um índice desempenho que avalia instalações físicas e aspectos gerais da estrutura, qualidade e boas práticas assistenciais e incentivo à segurança do paciente. Desta forma, por meio de um trabalho conjunto de desenvolvimento da melhoria contínua nos processos e resultados em saúde, é possível estreitar o relacionamento com o prestador, Cooperativa/Operadora e beneficiário, aprimorando a excelência e percepção de valor nos atendimentos. O principal instrumento para embasar a criação do Programa foi o estudo aprofundado dos itens avaliativos da RN 277/2011 e em seguida, da publicação da Consulta Pública n° 71, que originou a RN 452/2020. Toda essa bagagem conceitual, com as respectivas referências bibliográficas mencionadas nas resoluções, inspiraram a estruturação e aperfeiçoamento do Programa.

A estruturação e consolidação do Programa só foi possível pelo engajamento da equipe envolvida em todas as etapas da criação, desenvolvimento e execução do Programa. A cultura colaborativa oportuniza espaço de cocriação, onde os colaboradores sentem-se encorajados e em um ambiente seguro para abertura de novas percepções e compartilhamento de ideias para uma construção coletiva, colocando a Cooperativa/Operadora em outro patamar de contribuição, participação e performance de seus colaboradores, sendo o resultado uma consequência.

 

 

Motivos que levaram à adoção da prática

 

O sistema de saúde vem sendo pressionado por novas demandas. Clientes cada vez mais exigentes e participativos analisam a assistência prestada, acompanham de perto os resultados e comparam serviços. As atenções se voltam à qualidade e à segurança oferecidas. A experiência do paciente recebe destaque e ganha força como critério de avaliação. Os desfechos clínicos são considerados em sua totalidade e tudo isso representa a busca por valor em saúde.

O valor em saúde está diretamente relacionado à qualidade dos serviços prestados aos beneficiários, pelos estabelecimentos prestadores de serviços de saúde. Deste modo, a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS tem realizado diversas ações para incentivar a melhoria da qualidade da rede prestadora de serviços de saúde, destacando-se:

 

     Programa de Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde, que possui uma dimensão dedicada à gestão da rede prestadora de serviços e outra dimensão dedicada à gestão em saúde;

     Índice de Desempenho da Saúde Suplementar – IDSS que possui indicadores que medem a frequência de utilização de prestadores com atributo de qualidade do Programa Qualiss;

     Pesquisa de Satisfação de Beneficiários, com o objetivo de mensurar a experiência do cliente com relação a percepção sobre a qualidade da rede de assistência à saúde;

     Certificação em Atenção Primária à Saúde; e

     Modelos de remuneração baseada em valor, incentivando a adoção de boas práticas de qualidade e segurança do paciente.

 

Essas iniciativas visam ampliar a cultura de qualidade do setor, visando atender a expectativa dos clientes, além de oferecer desfecho e resolutividade nos serviços assistenciais.

O objetivo da qualificação dos serviços é induzir a mudança no modelo de saúde existente, propiciando uma melhor experiência ao beneficiário.

Considerando que a qualificação de rede prestadora de serviços com foco na segurança constitui-se numa responsabilidade da Cooperativa/Operadora frente a seus clientes e alinhado ao seu propósito de “Cuidar de você, proporcionando a melhor experiência!”, a Unimed Fronteira Noroeste/RS, iniciou em 2017 a implantação do Programa de Avaliação, Qualificação e Desenvolvimento da Rede Credenciada. Além de ser uma recomendação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o programa se apresenta como uma excepcional oportunidade de contribuir com a melhoria dos processos assistenciais e a proximidade com a rede prestadora.

A partir da análise realizada pela Gerência Geral, em relação aos requisitos do Programa de Acreditação de Operadoras (RN 277/2011), identificou-se a necessidade de estruturar o processo de contratação da rede prestadora de serviços, pois o mesmo estava fragmentado em diversas áreas, contemplando exclusivamente a relação contratual com a rede.

O primeiro passo foi a avaliação do perfil das lideranças para identificação do profissional com competências essenciais, especialmente voltadas a assistência em saúde e capacidade relacional para gerir as ações com foco na qualificação da rede.

A partir da definição da liderança da área, a Gerência em conjunto com a mesma e a Gestão de Pessoas, identificaram entre os profissionais internos, aquele com perfil mais adequado aos requisitos e competências esperadas para compor a estrutura para execução deste processo. Essa estrutura contempla a liderança da Gestão da Rede Credenciada e um Analista, oriundos de recrutamento interno.

A partir da definição da estrutura, o passo seguinte foi a preparação da equipe para a execução da prática. Faz parte da essência da Cooperativa/Operadora e do Jeito de Cuidar das pessoas, oportunizar desenvolvimento por meio de treinamentos “on the job”, no qual contrata-se Consultoria Especializada para capacitar os profissionais, cocriando, desde a estruturação do macroprocesso até a execução do primeiro ciclo da prática, a fim de deixar o legado para a organização.

A construção do macroprocesso “Gerir Rede Credenciada”, demonstrado na Cadeia de Valor, contempla a definição de diretrizes ajustadas às necessidades da Cooperativa/Operadora, levando em consideração aspectos culturais, complexidade das operações, requisitos legais e regulamentares. Também leva em consideração os interesses das partes interessadas e os fatores relevantes para os processos de tomada de decisão, incluindo questões relativas ao dimensionamento, contratualização, qualificação, avaliação, classificação e reconhecimento da rede credenciada.

Este macroprocesso tem o intuito de organizar a prestação da assistência à saúde de forma que o beneficiário tenha acesso a um cuidado de saúde resolutivo e de excelência, disponibilizando uma rede sustentável, segura e confortável para o seu atendimento, e, com isso, gerar ações de qualificação para toda a rede prestadora.

Em seguida, constituiu-se a criação dos processos e a integração das atividades principais, de forma a contemplar todos os aspectos do Programa de Acreditação de Operadoras estabelecido pelo órgão regulador (ANS), bem como os requisitos do Selo de Governança e Sustentabilidade, idealizado pela Unimed do Brasil e do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas – PDGC criado pelo Sistema
OCB. Partindo disso, foram sendo construídos os padrões – políticas, manuais, programas, instruções de trabalho e formulários, bem como a definição de indicadores para medição do desempenho dos processos e das atividades.

Para avaliar, qualificar e desenvolver a rede prestadora de serviços assistenciais, foi criado o Programa de Avaliação, Qualificação e Desenvolvimento da Rede Credenciada, que tem como objetivo o fortalecimento da rede e o fornecimento de subsídios que superam a relação contratual por apoiar o desenvolvimento da mesma. Esses subsídios vão além da informação científica e se estendem a melhora da relação, da criação de canais de comunicação e troca de informações qualitativas em saúde que contribuem substancialmente para manutenção dos serviços na oferta de experiências cada vez mais positivas aos clientes.

O Programa da Rede Credenciada, implantado pela Unimed Fronteira Noroeste/RS, abrange a rede própria e a rede prestadora credenciada, não incluindo os consultórios médicos. Este Programa contempla as seguintes etapas:

1ª Etapa: Qualificação dos Serviços de Saúde

Contempla a definição dos documentos que comprovam a regularização do serviço, porte e nível de qualidade oferecido aos clientes, adequado a cada tipo de serviço. Entre eles, destacam-se: Certificações de Qualidade (Acreditação e/ou Certificação por Entidade Gestora de Outros Programas de Qualidade);
Notificação de Eventos Adversos no Notivisa; Alvarás (localização, sanitário, bombeiros); CNES Ativo, entre outros. Esses documentos são enviados pela Rede Credenciada, com atualização anual e fazem parte da contratualização.

2ª Etapa: Avaliação dos Serviços de Saúde

Contempla a realização de visitas técnicas para Hospitais, Laboratórios Clínicos e Patológicos, Clínicas de Imagem, Clínicas de Fisioterapia e Clínicas Especializadas. Já os profissionais de saúde, enviam as evidências de qualidade do serviço prestado, de forma online.

Os itens avaliados durante a visita técnica, são registrados em formulário específico para cada tipo de serviço, contemplando os seguintes aspectos:

       Instalações Físicas e Aspectos Gerais da Estrutura Física

       Qualidade: avalia a aplicação das metas internacionais de segurança do paciente, padronização das rotinas dos serviços prestados, aspectos técnicos e assistenciais específicos para cada serviço, núcleo de segurança do paciente, satisfação de clientes, gestão das reclamações dos clientes e aspectos legais pertinentes a cada serviço avaliado.

       Boas práticas assistenciais e incentivo à segurança do paciente: adoção de protocolos e diretrizes clínicas e  protocolos de segurança do paciente, monitoramento de indicadores de qualidade assistencial, adoção de prontuário eletrônico e demais práticas de qualificação da assistência em saúde, específicas para cada tipo de serviço.

Além da visita técnica e/ou avaliação remota dos profissionais de saúde, o Índice de Desempenho do Prestador (IDP) é composto pelos seguintes requisitos:

3ª Etapa: Classificação dos Serviços de Saúde

 

Nesta etapa, os resultados são tabulados, classificando os prestadores de acordo com o seu desempenho, conforme demonstrado a seguir:

4ª Etapa: Reconhecimento dos Serviços de Saúde

O reconhecimento da rede credenciada é realizado por meio de encontro presencial e/ou online, onde realiza-se a disseminação do propósito, norteadores estratégicos, diretrizes relacionadas a conduta das partes interessadas, programa de integridade, Canal de Denúncias e principalmente a sistemática de execução do Programa de Avaliação, Qualificação e Desenvolvimento da Rede Credenciada. Além disso, é apresentado o plano de educação continuada da rede credenciada, o qual está alinhado a estratégia da Cooperativa/Operadora e necessidades/expectativas da mesma, identificadas pelo programa ou pela Pesquisa de Satisfação.

Neste encontro, cada prestador recebe o seu formulário da avaliação, contendo os resultados da visita técnica e/ou avaliação online, contemplando pontos fortes e oportunidades de melhoria, de forma individualizada e documentada, contendo
inclusive, referencial comparativo da média do desempenho dos prestadores, da sua categoria.

O reconhecimento formal aos prestadores é realizado ao final do encontro, onde os mesmos recebem o selo da categoria da sua classificação. Os prestadores classificados na Categoria Ouro, recebem uma bonificação adicional em dinheiro, a ser investido na melhoria da qualidade assistencial.

O monitoramento de qualidade assistencial e o apontamento dos padrões de referência, possibilitam o desenvolvimento da melhoria contínua nos processos e da qualidade assistencial da rede própria e credenciada.

Resultados

 

Os principais resultados quantitativos, decorrentes desta implantação são:

Satisfação da Rede Credenciada com impacto da implantação do Programa na melhoria dos processos internos da mesma:

(O Programa da Rede Credenciada oportuniza a implantação de melhorias nos meus processos internos):

2017

2019

2021

70,18%

74,19%

86%

 

Satisfação Geral da Rede Credenciada com a implantação do Programa:

 

2017

2019

2021

66,67%

79,03%

84%

 

Índice de Desempenho dos Prestadores – Resultado Geral

2017

1ª Edição

2019

2ª Edição

2021

3ª Edição

64,1 pontos

58,4 pontos *

62,6 pontos

27 avaliados com visita (41%) 39 avaliados sem visita (59%)

52 avaliados com visita (73%)

19 avaliados sem visita (27%)

51 avaliados com visita (72%)

20 avaliados sem visita (28%)

* A partir da 2ª edição, houve a ampliação dos critérios avaliados, bem como o aumento no % de prestadores visitados

Desempenho na RN 277/2019

Dimensão 2 – Dinâmica da Qualidade e Desempenho da Rede Prestadora

Dimensão 3 – Sistemáticas de Gerenciamento das Ações dos Serviços de Saúde

 

Dimensão 2

Dimensão 3

Acreditação (2018)

91,67%

90%

Supervisão (2020)

95,83%

94%

 

Desempenho na RN 452/2020

Dimensão 2 – Gestão da Rede Prestadora de Serviços de Saúde

Dimensão 3 – Gestão em Saúde

 

Dimensão 2

Dimensão 3

Avaliação Diagnóstica (2020)

64,29%

34,29%

Avaliação Interna (2021)

84,52%

91,93%

 

Prêmio Excelência em Gestão da Rede Prestadora 2021

O prêmio, concedido pela Unimed Federação/RS, visa estimular as Unimeds do Rio Grande do Sul à prática da gestão da rede direta de prestadores.

Em 2021, foram 09 Unimeds inscritas e 05 Unimeds, entre elas a Unimed Fronteira Noroeste/RS, foram classificadas no Nível de ExcelênciaDesempenho na RN 452/2020

Dimensão 2 – Gestão da Rede Prestadora de Serviços de Saúde

Dimensão 3 – Gestão em Saúde

 

Dimensão 2

Dimensão 3

Avaliação Diagnóstica (2020)

64,29%

34,29%

Avaliação Interna (2021)

84,52%

91,93%

 

 

Upload de evidências

 

A cooperativa poderá enviar material complementar a prática descrita, que deve ser enviado (via upload) exclusivamente em formato digital, no banco de práticas. Podem fazer parte do material complementar:

• Material utilizado na implementação e operacionalização da prática e de suas ações, como prospectos, publicidade, instruções, regulamentos, planilhas, relatórios, publicações e clipping de notícias publicadas na imprensa.

• Vídeos e imagens relacionados a prática e suas ações, em resolução igual ou superior a 1 MB ou 300 dpi, em formato JPEG ou MPEG.

 
Categorias
E-Book

Prêmio do Sistema OCB – SomosCoop

Uma prática é uma experiência de sucesso devidamente identificada e descrita de forma a permitir que outra organização/cooperativa possa acessar, conhecer e aplicar essa mesma experiência, de forma adaptada, em sua empresa.

O Grupo Giovanoni, conectado ao seu propósito de oferecer soluções holísticas para transformar a gestão das organizações, orgulha-se em compartilhar as boas práticas de gestão implementadas em seus clientes.

 

A seguir vamos apresentar o template da prática “Gestão Integrada de Governança Cooperativa e Sustentabilidade”.

 

Descrição da Prática:

 

Na Unimed Fronteira Noroeste/RS a adoção de boas práticas de governança cooperativa faz parte de um processo contínuo e permanente, sob a liderança do Presidente do Conselho de Administração, Conselheiros, Diretoria Executiva e Gerência Geral.

Em meados de 2017, iniciou-se a construção do macroprocesso “Gerenciar Governança e Sustentabilidade”, como base para adoção de boas práticas de governança cooperativa conectada às suas diretrizes, com o intuito de contribuir para a sustentabilidade do negócio, agregando valor à Cooperativa/Operadora e suas partes interessadas.

Os principais instrumentos para reflexão e incorporação destas práticas são o Selo de Governança e Sustentabilidade, idealizado pela Unimed do Brasil, o Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas – PDGC criado pelo Sistema OCB, exigências legais da RN 443/2019 e itens avaliativos da RN 452/2020. Toda essa bagagem conceitual inspirou a estruturação do macroprocesso, fortalecendo os mecanismos de liderança, estratégia e controle, com o objetivo de avaliar, direcionar e monitorar a atuação da gestão executiva.

A consolidação do macroprocesso de “Gerenciar Governança e Sustentabilidade” permitiu a organização dos processos e atividades de forma padronizada, integrada e conectada com a estratégia, promovendo a visão sistêmica e o aproveitamento do capital humano, sem aumentar a estrutura física e de pessoal, equilibrando os custos fixos e assegurando a sustentabilidade.

 

Motivos que levaram a adoção da prática:

 

A sustentabilidade de uma cooperativa é a sua capacidade de se manter no longo prazo em um mercado competitivo, com interferência do ambiente em que está inserida e contemplando a finitude de recursos disponíveis para sua sobrevivência. A importância social da saúde suplementar relaciona-se ao atendimento em saúde, de parte da população no sistema privado, contribuindo com a redução de despesas na saúde pública. Em 2021, o número de beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares chegou a aproximadamente 49 milhões, representando um crescimento de 3,18%, em relação a 2020.

Enquanto cresce o número de beneficiários, o número de operadoras de planos de saúde médico-hospitalares vem reduzindo anualmente, representando uma queda de 30%, nos últimos 10 anos. Isso demonstra uma tendência a concentração e verticalização dos mercados da cadeia produtiva da Saúde Suplementar, exigindo assim uma gestão ágil e eficaz, com práticas integradas e diretrizes asseguradas pela governança corporativa para gerar resultados sustentáveis.

Diante destes cenários e tendências, a Unimed Fronteira Noroeste/RS identificou a necessidade de implementar boas práticas de governança cooperativa com reflexo nas demonstrações econômicas, financeiras, atuariais e de solvência, sustentadas por um modelo de gestão integrado, sistêmico, que permite a manutenção do capital financeiro, o crescimento econômico constante e seguro, com equilíbrio e sustentabilidade.

O principal desafio ao estudar as boas práticas de governança corporativa, os aspectos legais relacionados a compliance e os modelos para estruturar a gestão de riscos e controles internos, foi encontrar a melhor forma para atender aos requisitos do órgão regulador, contemplando os princípios cooperativistas. Além disso, o outro dilema, era encontrar uma metodologia que pudesse integrar as boas práticas com métodos ágeis e eficazes para o gerenciamento, sem aumentar a estrutura física e de recursos humanos, mitigando o possível risco de impacto nos custos fixos da Cooperativa/Operadora.

Diante deste contexto, a Diretoria Executiva, em conjunto com a Gerência Geral, entendeu que seria fundamental construir o macroprocesso que envolvesse, de forma integrada, os processos de governança e sustentabilidade, considerando os requisitos normativos e legais, bem como o modelo de negócio e perfil da Unimed Fronteira Noroeste/RS como cooperativa médica e operadora de plano de saúde. Esse macroprocesso atua como norteador para a realização das atividades executadas pela Gestão Executiva e Conselhos com transparência, equidade, responsabilidade corporativa e prestação de contas.

 

Execução da prática

 

A partir da análise da Diretoria Executiva e Gerência Geral, considerando a cultura organizacional de aprendizado contínuo, valorização das competências dos profissionais internos e principalmente a oportunidade de desenvolvimento por meio da criação coletiva, num ambiente de segurança psicológica, permitindo o erro e a experimentação, decidiu-se iniciar pela construção do macroprocesso de governança e sustentabilidade.

A construção deste macroprocesso define as diretrizes da Operadora ajustadas às necessidades da Cooperativa, levando em consideração aspectos culturais, complexidade das operações, requisitos legais e regulamentares. Também leva em consideração os interesses das partes interessadas e os fatores relevantes para os processos de tomada de decisão, incluindo questões relativas a preocupações ambientais, sociais, anticorrupção, fraudes e ética.

O primeiro passo para estruturação dessa prática, foi o estudo aprofundado de publicações sobre as melhores práticas de governança corporativa (IBGC), boas práticas de governança cooperativa (Sistema OCB), requisitos do órgão regulador (ANS) e bibliografia científica sobre Governança, Riscos, Controles Internos e Compliance. Em consequência destes estudos, criou-se o macroprocesso de “Gerenciar Governança e Sustentabilidade”, na Cadeia de Valor, abarcando todos os processos interdependentes relacionados ao tema.

O passo seguinte consistiu-se na criação dos processos e na integração das atividades principais, de forma a contemplar todos os aspectos anteriormente estudados. Para isto, os requisitos do Selo de Governança e Sustentabilidade, idealizado pela Unimed do Brasil, do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas – PDGC criado pelo Sistema OCB, exigências legais da RN 443/2019 e itens avaliativos da RN 452/2020, foram fundamentais para a consolidação desta etapa. Neste momento, a participação da Gerência Geral e pessoas chaves foi fundamental para realizar o enquadramento dos requisitos nas atividades, desdobradas de cada processo. Partindo disso, foram sendo construídos os padrões – políticas, manuais, programas, instruções de trabalho e formulários, bem como a definição de indicadores para medição do desempenho dos processos e das atividades.

A parte mais relevante desta cocriação, foi a ampliação do pensamento sistêmico e a identificação da possibilidade de ascensão e desenvolvimento de potenciais talentos, a partir da análise dos perfis dos colaboradores e das atividades exercidas pelos mesmos, visando a alocação de novas responsabilidades.

Assim, o macroprocesso de “Gerenciar Governança e Sustentabilidade” abaixo apresentado, demonstra este desdobramento em processos e atividades, otimizando os recursos internos e consequente retenção de talentos, evitando aumento de custos administrativos.

Por isso, a estruturação e consolidação deste macroprocesso, ampliou o espaço de cocriação, abertura de novas percepções e compartilhamento de ideias em uma construção coletiva, promovendo o engajamento de quem participa, colocando a Cooperativa/Operadora em outro patamar de contribuição, participação e performance de seus colaboradores.

Esse ciclo de aprendizagem contínua retém não apenas os talentos em desenvolvimento, mas passa também a atrair os talentos do mercado que buscam um espaço para compartilhar ideias, crescer e se desenvolver profissionalmente em um ambiente de gestão humanizada.

 

Resultados

 

Medir os resultados sobre a efetividade das práticas de governança cooperativa implantadas é fator crítico de sucesso para a longevidade do negócio.

 

Os principais resultados qualitativos, decorrentes desta implantação são:

  • Clareza e objetividade nas atividades pertinentes a cada processo;
  • Padronização de todas as atividades e dos processos do macroprocesso de “Gerenciar Governança e Sustentabilidade”, contemplando exigências legais, requisitos normativos e alinhamento aos valores e estratégias da Cooperativa/Operadora;
  • Organização das atividades e fluxos internos para facilitar a execução dos padrões;
  • Definição de diretrizes e normativas internas, tornando transparente a execução das atividades, contribuindo para uma gestão ágil e eficaz, por meio de Auditorias Internas;
  • Desenvolvimento de uma cultura de integridade, alinhada às boas práticas de governança cooperativa.

Os principais resultados quantitativos, decorrentes desta implantação são:

 

Satisfação dos Cooperados com os Processos de Governança

2017

2019

2021

74,80%

90,91%

92%

 

 

Selo Unimed de Governança e Sustentabilidade

Dimensão

2018/2019

2020/2021

Órgãos Sociais

55,53 pontos

98,44 pontos

Cooperados

78,5 pontos

118,25 pontos

 

Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas – PDGC

Agentes da Governança

Desempenho Ciclo 2019

Desempenho Ciclo 2021

Cooperados

70%

92%

Assembleia Geral

100%

85%

Conselho de Administração

82%

100%

Conselho Fiscal

50%

100%

Gestão Executiva

77%

100%

Comitês e Auditorias

90%

100%

Resultados

80%

80%

 

Índice Sescoop de Governança (ISGC) – Nível Rumo à Excelência

Ciclo 2019

Ciclo 2021

Unimed Média Nacional

Unimed Média Estadual (RS)

76,45%

93%

87,3%

69,91%

 

Categorias
E-Book

Proporção de parto normal no sistema único de saúde e na saúde suplementar.

Categorias
E-Book

Revista IBEF

Categorias
E-Book

Observatório 2021

Categorias
E-Book

The Good Indicators Guide

Categorias
E-Book

Manual do Gestor Hospitalar

Categorias
E-Book

Encontro de Tecnologia Aplicada à Gestão em Saúde – 2019

Politicas de Privacidade

Para garantir sua satisfação, o Grupo Giovanoni criou uma Política de Privacidade, que esclarecemos abaixo. Qualquer dúvida, envie-nos um e-mail: contato@grupogiovanoni.com. A Política de Privacidade do Grupo Giovanoni foi criada para demonstrar o seu compromisso com a privacidade e segurança de informações coletadas dos usuários de serviços interativos oferecidos no site do Grupo Giovanoni.

1. Quais dados pessoais serão tratados pelo Grupo Giovanoni?
O Grupo Giovanoni poderá coletar as informações inseridas ativamente por você, “usuário”, no momento do contato, através do preenchimento do formulário de contato, ainda, informações coletadas automaticamente ao utilizar os nossos serviços. Há, assim, o tratamento de dois tipos de dados pessoais: (i) os fornecidos pelo próprio usuário e (ii) aqueles coletados automaticamente pelo Grupo Giovanoni.

1.1. Dados Pessoais Fornecidos pelo Usuário
O Grupo Giovanoni coleta todos os dados pessoais inseridos ou encaminhados ativamente pelo usuário ao contatar em nosso site. São eles: Nome completo, sexo, e-mail, data de nascimento e endereço completo. Independentemente de quais dados pessoais o usuário fornece ativamente ao Grupo Giovanoni, nós apenas faremos uso daqueles efetivamente relevantes e necessários para o alcance das finalidades a ele declaradas na coleta dos dados.

1.2. Dados coletados automaticamente pelo Grupo Giovanoni
O Grupo Giovanoni coleta uma série de informações de modo automático no site de interação com o usuário, tais como: características do dispositivo de acesso, do navegador, IP (com data e hora), origem do IP, informações sobre cliques, páginas acessadas, dentre outros. Para tal coleta, o Grupo Giovanoni fará uso de algumas tecnologias padrões, como cookies, pixel tags, beacons e local shared objects, que são utilizadas com o propósito de melhorar a sua experiência de navegação em nosso site, de acordo com os seus hábitos e preferências.

1.3. Com quais finalidades o Grupo Giovanoni tratará seus dados?
Os dados pessoais tratados pelo Grupo Giovanoni têm como principais finalidades a possibilidade do usuário conhecer a oferta de produtos do Grupo Giovanoni e o fornecimento de informações via formulário de contato.

2. O que são e como o Grupo Giovanoni utiliza a tecnologia cookies?
Cookies são arquivos ou informações que podem ser armazenadas em seus dispositivos quando você visita o website do Grupo Giovanoni. Geralmente, um cookie contém o nome do site que o originou, seu tempo de vida e um valor, que é gerado aleatoriamente.
O Grupo Giovanoni utiliza cookies para facilitar o uso e melhor adaptar seu website e aplicações aos interesses e necessidades de seus usuários, bem como para auxiliar e melhorar sua estrutura e seus conteúdos. Os cookies também podem ser utilizados para acelerar suas atividades e experiências futuras em nossos serviços.
Por meio de cookies, o site armazena informações sobre as atividades do navegador, incluindo endereço IP e a página acessada. Esses registros de atividades (logs) serão utilizados apenas para fins estatísticos e de métricas dos serviços disponibilizados ou para a investigação de fraudes ou de alterações indevidas em seus sistemas e cadastros, não tendo como finalidade o fornecimento dos dados a terceiros sem autorização expressa do usuário.
Esses registros poderão compreender dados como o endereço de IP do usuário, as ações efetuadas no site, as páginas acessadas, as datas e horários de cada ação e de acesso a cada página do site, as informações sobre o dispositivo utilizado, versão de sistema operacional, navegador, dentre outros aplicativos instalado.