Deixe o seu e-mail e receba todas as novidades:
Receba novidades:

O que é mais caro: investir em Qualidade ou pagar os custos da Não-Qualidade ?

Era um dia como outro qualquer e uma senhora, na casa dos 70 anos, foi fazer sua rotineira sessão de Fisioterapia. Chegou na clínica, foi atendida e ao término do procedimento resolveu descer da maca. Como não havia ninguém para lhe ajudar e ela queria sair, achou que podia fazê-lo sozinha. Ao descer, caiu. E esta queda lhe custou uma fratura na perna.

 

Se você pensa que o relato acima é só uma “história qualquer”, está enganado. Este fato é verídico, aconteceu com a mãe de uma amiga. Vamos analisar os fatos.

 

Uma senhora na casa dos 70 anos, já estava fazendo fisioterapia para fortalecer ou se recuperar de algo. No caso dela, estava fazendo sessões de pós-operatório para recuperação de uma cirurgia no joelho. Agora, ela está “entrevada” numa cama em sua casa, necessitando de cuidador e as filhas fazendo revezamento para ajudar nos cuidados da mãe.

 

Pararam para pensar: transtorno, custos e especialmente a qualidade de vida desta senhora que agora acabou. Considerando sua idade, vai demorar muito tempo para se recuperar.

 

Isto é o que acontece quando as instituições de saúde acham que práticas de segurança do paciente só são necessárias para empresas que estão buscando Acreditação ou alguma Certificação em Saúde. É impressionante como a maioria dos gestores ainda não se deu conta que, implantar práticas de segurança do paciente nos estabelecimentos de saúde não só aumenta a credibilidade do serviço como também reduz os custos.

 

Imaginem se esta família decide acionar a justiça. Certamente a clínica de fisioterapia teria que arcar com os custos do tratamento, com as despesas do cuidador e mais todos os outros custos necessários para recuperação desta paciente. Arrisco dizer que provavelmente teriam que fechar as portas.

 

E isto me faz lembrar da frase mais famosa que escutamos dos gestores em saúde: “Fazer TODO este investimento para a segurança do paciente? Ah não, isto é muito caro! Os clientes não valorizam e não pagarão mais pelo serviço só porque temos segurança assistencial.” Verdade, os clientes não pagarão mais caro por você ter práticas de segurança do paciente; mas quero ver você manter sua empresa e arcar com as despesas de um processo cível.

 

Infelizmente, a arrasadora maioria dos estabelecimentos de saúde age reativamente. Esperam acontecer um fato grave como este, para então decidir agir preventivamente. Os eventos adversos podem acontecer em QUALQUER estabelecimento de saúde, vide o relato acima.

 

E foi pensando em situações como essa e nos estabelecimentos que buscam a prevenção, que o Grupo Giovanoni desenvolveu o SGGS– Sistema Giovanoni de Gestão em Saúde, que é o Programa de Qualificação, Avaliação, Classificação e Certificação de Prestadores de Serviços de Saúde da Giovanoni.

 

O SGGS foi lançando em 2017, quando o Grupo Giovanoni foi homologado pela ANS como Entidade Gestora de Outros Programas de Qualidade, em atendimento à RN 405/2016. Na primeira edição, nossa metodologia certificou Clínica de Fisioterapia, Clínica de Oncologia e Laboratório de Análises Clínicas e avaliou dezenas de outros estabelecimentos de saúde.

 

“Desenvolvemos nossa metodologia como um caminho para a Acreditação ONA. Os estabelecimentos implantam nossos requisitos, que estão baseados em práticas de Segurança do Paciente, Atendimento a Requisitos Legais e Gestão do Negócio, e quando alcançam o Nível III da nossa Certificação, estão preparados para o Nível I da Acreditação ONA”, explica a Diretora Ana Giovanoni.

 

O Programa visa auxiliar os estabelecimentos de saúde a estabelecer práticas e processos focados na qualidade e segurança da assistência, além de garantir a sustentabilidade do negócio. Tratam-se de princípios essenciais que todas as instituições deveriam estabelecer como condição sine qua non para permanecerem no mercado e evitar que eventos adversos relacionados à assistência em saúde, como o relatado acima, ocorram. 

 

Assim, não é difícil perceber que o preço a ser pago pelo estabelecimento de saúde é quase intangível, se acrescentarmos os danos de imagem, reputação e credibilidade do mesmo perante o mercado e clientes.

 

E então, você ainda acha caro investir em Gestão? Veja como o SGGS pode ajudar a sua empresa, conheça mais em: https://grupogiovanoni.com/sggs.html

Comente: